quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

1 e 2

1 - Uma reflexão

Eu me lembro de abraçar a tristeza e a solidão e o constante sentimento de suicídio iminente. Lembro de imaginar a mim mesma morta banhada em sangue pois a vida havia parado de fazer sentido. A ideia da morte que me vigia o tempo todo e só espera a oportunidade de atacar ainda está presente, mas se antes ela era minha sombra, agora ela anda mais afastada. Agora que ela não está tão perto, que não vejo seu rosto em detalhes, não sei mais o quão real ela é. Ela sempre me pareceu tão concreta, tão cheia de existência. Agora não é mais que uma sombra. Me pergunto se ela não é invenção minha. Se nos momentos de solidão eu não inventei para mim mesma uma companheira, alguém que me acompanhasse. Me pergunto se esse sentimento existia mesmo ou era somente uma tentativa de deixar a minha solidão mais poética. Talvez o meu sonho egoísta de deixar uma história, um legado, algo escrito, para as gerações futuras tenha criado essa ilusão de que um dia eu irei deixar esse mundo de maneira poética. É horrível, não desejo a ninguém, é triste, mas existe uma certa poesia no ato, ninguém me fará acreditar no contrário. Talvez eu tenha sido influenciada por tantas poetisas mais talentosas e mais tristes do que eu. Talvez esse seja o sentimento delas, não o meu. Acho que li e absorvi todas aquelas palavras, e resolvi fingir que eram minhas, pra dar sentido aquela solidão. Talvez assim eu conseguisse ser um pouquinho como elas. Eu sempre pensei que era da morte que elas tiravam as suas palavras. Agora, com a morte mais afastada, penso que não. Na vida existe mais poesia. Tanta poesia que elas talvez não tenham aguentado.

2 - Uma oração

I pray to you to keep me alive
To keep me fighting
To keep me loving
Godesses of poetry,
I pray to you to keep me writing.

When in the end of the day
patriarchy wins the round
I pray to you to keep me on the run.

When in the end of the day
I am too tired to write
I pray to you to give me poetry.

When the sun is dark
And I don't want to get up
I pray to you to give me strenght.

Dear godesses of poetry,
Don't let me get weak
Don't let me collapse.

And in my time to go
Don't let me do it with my own hands
Don't let me choose the moment
And let my words behind me
And make sure they will read it.

Nenhum comentário:

Postar um comentário